Convento de Nossa Senhora da Esperança de Beja

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADBJA/CNSEBJA
Title type
original
Date range
1500 Date is certain to 1905 Date is certain
Dimension and support
35 liv., 4 cad., 12 mç.
Extents
4 Outros
35 Livros
12 Maços
Biography or history
Manuel Lourenço Casteleiro de Goes na sua obra: "Beja : XX séculos de história de uma cidade" apresenta o momentos marcantes da história deste convento e que agora citamos: "O primeiro das monjas de clausura carmelitas calçadas instituído em Portugal, o Mosteiro de Nossa Senhora da Esperança terá sido fundado em 1541 por D. Leonor Colaço em cumprimento de um pedido feito por Nossa Senhora da Esperança que apareceu à instituidora quando rezava com muita devoção à dita Senhora (O Padre Botelho Palma, diz que a licença para fundar o mosteiro foi alcançada de D. João III por aturado empenho de uma filha que D. Leonor Colaço tinha na Corte). Era uma clausura muito espaçosa localizada dentro da cerca fortificada da cidade, entre a Porta de Mértola e a Porta Nova, encostada à muralha, julgando-se, até, que as freiras tenham rompido esta para se servirem de um quintal formado pela barbacã - era pelo menos assim, em 1644, quando também ocupavam duas torres da cerca.

O acesso ao• mosteiro fazia-se a partir da Rua da Esperança por um grande portão que dava para um pátio de calçada muito inclinada. À esquerda ficava a casa do capelão (ainda existe) e à direita a abside da igreja; ao fundo do pátio ficava a portaria conventual.

A implantação da igreja era paralela à Rua da Esperança (hoje de Alexandre Herculano) onde ficavam as duas portas do seu acesso protegidas por uma estreita galilé de contrafortes cilíndricos coroados por botaréus cónicos como os da igreja de Santa Maria.

As madres eleitas para governar o Mosteiro de Nossa Senhora da Esperança intitulavam-se Priorezas e na instituição viveram várias religiosas cuja devoção chegava a tornar-se num profundo misticismo que se tornou conhecido fora do país. Em alguns casos, as práticas de averiguação por parte da Inquisição como foi o caso de Madre Mariana da Purificação."

O seu noviciado fechou em 1834 e o convento foi extinto com a morte da última freira em 1897.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando os de religiosas, sujeitos aos respectivos bispos, até à morte do último, data do encerramento definitivo. Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
Em 1988, a documentação, que se encontrava na Direção de Finanças, Repartição da Tesouraria do Distrito de Beja foi incorporada no Arquivo Distrital de Beja.

A documentação foi sujeita a tratamento arquivístico, no início da década de 1990. O grupo de Arquivos Eclesiásticos encontrava-se dividido por cinco Grupos de Fundos. Cada um deles é composto pelos fundos conventuais, neles se incluem toda a documentação proveniente do respectivo cartório, aquando da sua extinção em 1834. O Grupo de fundos foi organizado por Ordens Religiosas e ordenados alfabeticamente.

No ano de 2012, no âmbito do regulamento do Concurso: “Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais 2012”, promovido e patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian, o Arquivo Distrital de Beja, apresentou a candidatura: “Projeto – Ordens Monástico-Conventuais no Baixo – Alentejo, 1415-1911”, processo n.º 123075, tendo a mesma sido aprovada. Esta candidatura possibilitou a mais recente intervenção arquivística possibilitando a descrição e digitalização.
Acquisition information
Incorporação proveniente da Direção de Finanças, Repartição da Tesouraria do Distrito de Beja em 1988.
Scope and content
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Arrangement
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Access restrictions
Comunicável, salvo os originais em mau estado de conservação.
Conditions governing use
Reprodução sujeita a restrições atendendo ao número, tipo de documento, estado de conservação e existência de cópia em formato digital. Sujeito à tabela emolumentar em vigor.
Language of the material
por (português)
Other finding aid
ARQUIVO DISTRITAL DE BEJA - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Beja: ADBJA, 2013- . Disponível no Sítio Web e no Portal português de Arquivos. Em actualização permanente.



INSTITUTO DOS ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - "Ordens monástico-conventuais: inventário: Ordem de São Bento, Ordem do Carmo, Ordem dos Carmelitas Descalços, Ordem dos Frades Menores, Ordem da Conceição de Maria." Coord. José Mattoso, Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha. Lisboa: IAN/TT, 2002. XIX, 438 p. ISBN 972-8107-63-3.



Inventário artístico de Portugal : Distrito de Beja. Lisboa : Academia Nacional de Belas Artes, 1992. 2 vol : il ; 30 cm



Goes, Manuel Lourenço Casteleiro de, 1945- Beja : XX séculos de história de uma cidade / Casteleiro de Goes. - Beja : Câmara Municipal de Beja, 1999. - Vol. 2

Related material
Portugal, Arquivo Nacional Torre do Tombo.



Portugal, Arquivo Distrital de Beja, Direção de Finanças, Repartição da Tesouraria do Distrito de Beja.



Portugal, Biblioteca Nacional de Lisboa.



Portugal, Biblioteca Pública de Évora.

Creation date
08/07/2011 00:00:00
Last modification
21/10/2013 18:11:43