Convento de Nossa Senhora das Relíquias do Carmo da Vidigueira

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADBJA/CCRVDG
Title type
Atribuído
Date range
1432 Date is certain to 1835 Date is certain
Dimension and support
16 liv., 6 mç, 19 perg.
Extents
19 Livros
6 Maços
Biography or history
No Inventário Artístico de Portugal Distrito de beja é efetuada um sinopse dos principais momentos da história deste convento e que agora citamos: "As origens da casa religiosa remontam ao aparecimento, na Várzea (onde actualmente se situa o convento), sobre o tronco de um frondoso zambujeiro, uma imagem da Virgem, a uma jovem pastora, correndo os anos de 1480-81, imagem que os habitantes do Monte dos Alfaiates conduziram processionalmente para a igreja de Santa Clara dos Olivais, da Vidigueira.

Todavia, respeitando a tradição, a Senhora reapareceu três vezes no mesmo local, até que os povos se resolveram fundar no sítio, uma ermida aumentada pouco depois por um pequeno eremitério, que entregaram à conservação dos monges carmelitas de Moura, na altura dirigidos pelo provincial e bacharel formado em Teologia, Fr. Rodrigo de Beja, o qual obteve do rei D. Manuel I, o alvará de posse, datado de Montemor-o-Novo, de 7 de Janeiro de 1496, auto que teve a presença do contador da casa real Brás Luís e testemunhas os moradores João Afonso, João Vaz e Rui Fernandes.

Na altura se denominou o convento de Nossa Senhora das Relíquias e a sua definitiva integração na Ordem do Carmo. Logo no dia 1 de Fevereiro do mesmo ano se confirmaram as primeiras doações de anais de missas, feitas pelo casal Pedro Afonso, alfaiate, e Margarida Fernandes.

D. Vasco da Gama, 1º conde da Vidigueira, pouco antes de empreender a sua derradeira viagem à India, como vice-rei, obteve do monarca licença para trespasse do padrão de juro de 3.000 rs., pagos nas sisas gerais de Moura, a favor do Convento das Relíquias, para nele instituir capela e panteão com o encargo de 95 missas rezadas, o que lhe foi concedido por D. João III, em carta escrita em Évora a 24 de Maio de 1514. Passou-se outro padrão dos restantes 4.333 rs., a favor mesmo donatário.

D. Catarina de Ataíde, sua mulher, legou, em testamento, 3 moios de trigo anuais, de foro imposto na herdade do termo de Beja, com obrigação de missa diária.

Os condes D. Francisco da Gama e sua mulher D. Guiomar de Vilhena., instituíram capela perpétua no presbitério do convento por escritura lavrada em Lisboa a 17 de Junho de 1533, (…)

A primitiva capela conventual, destinada à Senhora encontrada pela pastora, foi substituída por outra de melhor arquitectura da invocação de Nº Sª da Piedade, fundada por Lourenço Moreno, segundo escritura lavrada em Lisboa a 28 de Fevereiro de 1544, que concedia aos frades o foro anual de 25 alqueires de trigo (…)

Na casa professou o famoso orador e músico Fr. Estevão da Purificação, natural de Moura, que teve a sua biografia publicada em 1621 por Fr. Luís da Apresentação (1571-1617).

Abrangido pelo Decreto de D. Pedro IV, de Maio de 1834, que extinguiu as Ordens Religiosas cm Portugal, na sua igreja foi celebrada a última missa no sábado, 28 de Junho desse ano, pelas sete horas da manhã, dita pelo prior Fr. Manuel de Ataíde, acolitado por Fr. Bonifácio José Maria, natural de Ferreira do Alentejo, que mais tarde, conhecido pela alcunha de andarilho, fez duas romagens a pé, a Roma, para venerar o túmulo do Apóstolo S. Pedro, e sofreu algumas perseguições políticas, porque aderiu ao Liberalismo (+ 1862).

Após a missa procedeu-se oficialmente ao inventário das alfaias preciosas e outros objectos de prata, os quais, encaixotados, seguiram para Évora, debaixo de uma escolta de cavalaria 5, reunindo-se ao depósito dos bens das casas monásticas acauteladas no templo dos Lóios e que foram conduzidos pouco depois para Lisboa"

Custodial history
Em 1988, a documentação, que se encontrava na Direção de Finanças, Repartição da Tesouraria do Distrito de Beja foi incorporada no Arquivo Distrital de Beja.

A documentação foi sujeita a tratamento arquivístico, no início da década de 1990. O grupo de Arquivos Eclesiásticos encontrava-se dividido por cinco Grupos de Fundos. Cada um deles é composto pelos fundos conventuais, neles se incluem toda a documentação proveniente do respectivo cartório, aquando da sua extinção em 1834. O Grupo de fundos foi organizado por Ordens Religiosas e ordenados alfabeticamente.

No ano de 2012, no âmbito do regulamento do Concurso: “Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais 2012”, promovido e patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian, o Arquivo Distrital de Beja, apresentou a candidatura: “Projeto – Ordens Monástico-Conventuais no Baixo – Alentejo, 1415-1911”, processo n.º 123075, tendo a mesma sido aprovada. Esta candidatura possibilitou a mais recente intervenção arquivística possibilitando a descrição e digitalização.
Acquisition information
Incorporação proveniente da Direção de Finanças, Repartição da Tesouraria do Distrito de Beja em 1988.
Scope and content
Livro de registo de ordens superiores, inventários, tombo de documentos, escrituras e treslados, livro de juros, livro da sacristia, testamentos, receita e despesa e livro das capelas.
Arrangement
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Access restrictions
Comunicável, salvo os originais em mau estado de conservação.
Conditions governing use
Reprodução sujeita a restrições atendendo ao número, tipo de documento, estado de conservação e existência de cópia em formato digital. Sujeito à tabela emolumentar em vigor.
Language of the material
por (português)
Other finding aid
ARQUIVO DISTRITAL DE BEJA - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Beja: ADBJA, 2013- . Disponível no Sítio Web e no Portal português de Arquivos. Em actualização permanente.



INSTITUTO DOS ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - "Ordens monástico-conventuais: inventário: Ordem de São Bento, Ordem do Carmo, Ordem dos Carmelitas Descalços, Ordem dos Frades Menores, Ordem da Conceição de Maria." Coord. José Mattoso, Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha. Lisboa: IAN/TT, 2002. XIX, 438 p. ISBN 972-8107-63-3.



Inventário artístico de Portugal : Distrito de Beja. Lisboa : Academia Nacional de Belas Artes, 1992. 2 vol : il ; 30 cm
Related material
Portugal, Arquivo Nacional Torre do Tombo.



Portugal, Arquivo Distrital de Beja, Direção de Finanças, Repartição da Tesouraria do Distrito de Beja.



Portugal, Biblioteca Nacional de Lisboa.



Portugal, Biblioteca Pública de Évora.
Creation date
19/02/2009 00:00:00
Last modification
21/10/2013 17:14:06